Categorias
saúde

Lactobacillus reuteri

Por Isabella Brescia

Os probióticos são definidos como “microrganismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, conferem um benefício à saúde do hospedeiro” pela Organização Mundial da Saúde. Embora a ideia de usar probióticos para benefícios à saúde não seja nova, o interesse aumentou significativamente nos últimos anos, devido, em parte, ao aumento da resistência a antibióticos, particularmente no tratamento de doenças do sistema gastrointestinal (GI), e um desejo crescente do público por promotores naturais de saúde. Os microrganismos probióticos que demonstraram possuir propriedades benéficas incluem Lactobacillus spp., Bifidobacterium spp., Saccharomyces boulardii, Propionibacterium spp., Streptococcus spp., Bacillus spp., Enterococcus spp. , e algumas cepas específicas de Escherichia coli.

Existem certos critérios que um probiótico deve ter para ser considerado eficaz. Estes incluem a capacidade de sobreviver no trato GI, uma alta resistência aos ácidos gástricos, a falta de quaisquer genes de resistência a antibióticos transferíveis e a capacidade de exercer benefícios claros no hospedeiro. Os probióticos são benéficos ao corpo humano através de diversos mecanismos que incluem resistência à colonização, produção de ácidos graxos de cadeia curta (AGCC), regulação do trânsito intestinal, normalização da microbiota, aumento da renovação de enterócitos e exclusão competitiva de patógenos. Embora não seja amplamente observado, existem muitos efeitos entre espécies probióticas específicas. Por exemplo, algumas cepas probióticas podem melhorar a digestão dos alimentos do hospedeiro metabolizando o sal biliar ou complementando as funções das enzimas digestivas.

Lactobacillus spp. são um dos probióticos mais utilizados e podem ser encontrados em uma grande variedade de produtos alimentícios pois desempenha um papel importante na fermentação de alimentos e no sistema GI de humanos e animais em quantidades variáveis, dependendo da espécie, idade do hospedeiro ou localização no intestino.

Estudos em animais e resultados pré-clínicos mostraram que os lactobacilos podem ajudar na prevenção e tratamento de vários distúrbios do trato GI. Entre esses distúrbios estão infecções entéricas, diarreia associada a antibióticos, enterocolite necrosante em recém-nascidos prematuros, doença inflamatória intestinal, câncer colorretal e síndrome do intestino irritável. Embora o trato GI seja o local onde acredita-se que os Lactobacillus mostrem mais benefícios, foram relatadas aplicações probióticas de algumas cepas de Lactobacillus em outros locais do corpo. Estes incluem a prevenção e tratamento de doenças urogenitais e vaginose bacteriana em mulheres, doença atópica, hipersensibilidade alimentar e prevenção de cárie dentária.

Lactobacillus reuteri ( L. reuteri ) é uma bactéria probiótica bem estudada que pode colonizar um grande número de mamíferos. Em humanos, a L. reuteri é encontrada em diferentes locais do corpo, incluindo o trato gastrointestinal, trato urinário, pele e leite materno. A abundância de L. reuteri varia entre diferentes indivíduos. Vários efeitos benéficos de L. reuteri foram observados desde sua descoberta em 1962.

O L. reuteri pode produzir moléculas antimicrobianas, como ácidos orgânicos (ácido lático e acético), etanol e reuterina (capaz de inibir uma ampla gama de microrganismos, principalmente bactérias Gram-negativas). Devido à sua atividade antimicrobiana, é capaz de inibir a colonização de microorganismos patogênicos e remodelar a composição da microbiota comensal no hospedeiro.  Com a síntese dessas substâncias, L. reuteri demonstrou ser eficaz contra uma variedade de infecções bacterianas gastrointestinais. Essas infecções incluem Helicobacter pylori, E. coli, Clostridium difficile e Salmonella. Uma das ilustrações mais notáveis ​​da eficácia de L. reuteri como probiótico contra infecções é o uso de L. reuteri para tratar H. pyloriA infecção por H. pylori é uma das principais causas de gastrite crônica e úlceras pépticas, bem como um fator de risco para malignidades gástricas.

Existem 13 vitaminas essenciais para os seres humanos devido à incapacidade do corpo humano de sintetizá-las. Como muitos outros Lactobacillus spp., várias cepas de L. reuteri são capazes de produzir diferentes tipos de vitaminas, incluindo vitamina B12 (cobalamina) e B9 (folato).

L. reuteri também pode beneficiar o sistema imunológico do hospedeiro, reduzindo a produção de citocinas pró-inflamatórias enquanto promovem o desenvolvimento e a função de células T reguladoras. 

As barreiras físicas, bioquímicas e imunológicas compreendem a função de barreira intestinal, necessária para bloquear a entrada de antígenos e toxinas exteriores. Se ocorrer alguma anormalidade na barreira intestinal, a permeabilidade pode aumentar, resultando em um intestino permeável. Vários probióticos são conhecidos por suas habilidades de melhorar a função de barreira da mucosa, dos quais L. reuteri é um exemplo bem conhecido. Tendo a capacidade de fortalecer a barreira intestinal, a colonização de L. reuteri pode diminuir a translocação bacteriana do lúmen intestinal para os tecidos. A translocação através do epitélio intestinal pode ser um iniciador da inflamação. Portanto, doenças inflamatórias, incluindo aquelas localizadas no intestino, bem como em outros tecidos, podem ser melhoradas aumentando a colonização de L. reuteri . 

Houve uma diminuição na abundância de L. reuteri em humanos nas últimas décadas provavelmente causada pelo estilo de vida moderno (uso de antibióticos, dieta ocidental, higiene melhorada). Tal diminuição coincide com maiores incidências de doenças inflamatórias. Embora faltem evidências para estabelecer a correlação, pode ser útil aumentar a colonização de L. reuteri e/ou facilitar suas funções probióticas como uma estratégia nova e relativamente segura contra doenças inflamatórias. Além disso, por meio de regulação direta ou modulação indireta via microbiota do hospedeiro, L. reuteri desempenha um papel importante na eliminação de infecções e na atenuação de doenças gastrointestinais. A segurança e tolerância de L. reuteri foi comprovado por numerosos estudos clínicos. 

Referência Bibliográfica

MU, Qinghui; TAVELLA, Vicente J.; LUO, Xin M. Papel do Lactobacillus reuteri na saúde e doenças humanas. Frontiers in microbiology , v. 9, p. 757, 2018.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.