Categorias
saúde

Suplementação proteica e COVID-19

Por Isabella Brescia

A suplementação proteica e sua importância na recuperação da massa muscular. Ilustração: BH Vida

A pandemia da COVID-19 levou à implementação de medidas para conter a propagação da infecção. Os governos em todo mundo aplicaram medidas como isolamento e distanciamento social, levando a um longo período em casa. Isso resultou em reduções na atividade física e mudanças na ingestão alimentar que têm o potencial de acelerar a perda da massa e função muscular, bem como aumento na gordura corporal. Essas mudanças na composição corporal estão associadas a uma série de doenças crônicas do estilo de vida, incluindo doenças cardiovasculares (DCV), diabetes, osteoporose, fragilidade, declínio cognitivo e depressão. Além disso, DCV, diabetes, e gordura corporal elevada estão associadas a maior risco de infecção por COVID-19 e sintomatologia mais grave, ressaltando a importância de evitar o desenvolvimento de tais morbidades.

O papel da massa muscular esquelética na modulação da resposta imune e no suporte ao estresse metabólico tem sido cada vez mais confirmado. A sarcopenia, definida como a depleção da massa muscular esquelética e da força muscular, é prevalentemente observada em vários processos fisiológicos e patológicos, incluindo envelhecimento, inatividade, doenças crônicas, progressão do câncer e deficiência nutricional. Notavelmente, a qualidade e a quantidade da massa muscular esquelética não apenas influenciam a atividade motora, a função respiratória e o perfil de deglutição, mas também afetam a resposta imunológica e o estresse metabólico frente a infecções agudas, cirurgias de grande porte e outros ataques.

A infecção por COVID-19 é um fator de risco para a incidência e progressão da sarcopenia devido ao aumento da perda muscular causada pela inflamação sistemática, da atividade física reduzida e ingestão inadequada de proteínas. Tanto o exercício físico quanto os nutrientes à base de proteínas já são amplamente estudados como fatores cruciais na prevenção e reversão da sarcopenia. A reação inflamatória causada por COVID-19, é baseada em uma tempestade de citocinas pró inflamatórias que tem como consequência o estresse metabólico e catabolismo muscular. A interação entre sarcopenia e COVID-19,  pode ser bidirecional e formar um círculo vicioso.

Segundo as diretrizes da ASPEN (American Society for Parenteral and Enteral Nutrition), para pacientes com sarcopenia e infecção por COVID-19, o suporte nutricional deve se ajustar ao aumento da reação inflamatória e do estresse metabólico. Um suporte calórico de 25 a 30 cal / kg / dia com um suporte proteico de 1,2 a 2,0 g / kg / dia deve ser considerado para casos de infecção grave. Maior suporte de proteína (> 2,0 g / kg / dia) deve ser considerado para tempestade de citocinas observada em infecção COVID-19 grave. A suplementação de proteína de soro de leite enriquecida com leucina pode ser uma boa fórmula para reverter a perda de massa muscular em pacientes com sarcopenia e infecção grave.

As intervenções direcionadas ao músculo esquelético podem quebrar o círculo vicioso e beneficiar o tratamento de ambas as condições. A avaliação da sarcopenia para populações com idade avançada, sedentarismo, doença crônica, câncer e deficiência nutricional podem orientar a suplementação de proteínas e oferta de atividades físicas para reverter o quadro de sarcopenia durante e no pós COVID-19.

Referências:

PEI-YU Wang, YIN Li, QIN Wang. Sarcopenia: An underlying treatment target during the COVID-19 pandemic, Nutrition, Volume 84, 2021, 111104, ISSN 0899-9007. Disponível em https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0899900720303877. Acesso em 26 de jun. de 2021.

KIRWAN, R., MCCULLOUGH, D., BUTLER, T. et al. Sarcopenia durante as restrições de bloqueio de COVID-19: efeitos de longo prazo na saúde da perda muscular de curto prazo. GeroScience 42, 1547–1578 (2020). Disponivel em https://doi.org/10.1007/s11357-020-00272-3. Acesso em 26 de jun. de 2021.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.